O equipamento facilita a rotina dos funcionários e representa uma série de vantagens para a empresa

A ponte rolante é um dos principais equipamentos de elevação e transferência de cargas dentro de uma área predeterminada, como um galpão. Ela pode ser usada para transferir mercadorias volumosas, pesadas ou desajeitadas.

Produtos e materiais a granel, por exemplo, são movidos em grandes quantidades por pontes rolantes. O carro eleva ou desce a carga, percorrendo o eixo transversal. Correntes ou cabos de aço dão sustentação ao trabalho do maquinário.

Seus principais componentes são a viga, o carro e a talha. As estruturas têm três tipos de movimentos, motorizados ou manuais: o movimento longitudinal do galpão, o de elevação e o de direção da talha.

Podem ser encontradas pontes no tipo rolante apoiada, suspensa, uni-viga ou dupla-viga, dependendo do espaço físico disponível, da velocidade do transporte e também do material a ser movimentado.

Neste texto, explicamos por que a ponte rolante facilita a rotina dos funcionários da empresa e como ela é essencial na operação diária de galpões logísticos, e as vantagens de contar com uma estrutura desta ao alugar um galpão.

Ponte rolante transportando tubos de aço em galpão.

Economia de recursos

Esse tipo de estrutura é imprescindível para organizações que buscam segurança e agilidade ao movimentar os itens em um ambiente, e permite também um melhor aproveitamento de espaço se comparada com outros equipamentos do gênero.

Além de aumentar a área disponível no local e de diminuir possíveis danos aos materiais transportados em galpão logístico ou industrial, a ponte rolante proporciona mais tempo para outras atividades por parte dos colaboradores, aumentando a sua produtividade.

Leia também: Como alugar galpão industrial, guia completo

Outra vantagem é a não necessidade de gastos com gás, com mais funcionários (como, por exemplo, em um carregamento por sacaria) ou com a manutenção do chão de fábrica, por estar localizada de maneira suspensa.

Agilidade na hora de transportar objetos complexos

Pode parecer um tanto quanto óbvio, mas não pode deixar de ser reforçado: a utilização desse modelo de equipamento reduz o esforço humano no manuseio dos itens e dos materiais, facilitando os processos de movimentação dentro da empresa.

Há muitos casos, porém, em que o transporte só é possível de ser realizado com a ajuda de uma estrutura como esta. Elas suportam grandes pesos e realizam o transporte de cargas volumosas com suavidade e rapidez.

Segurança que todos os colaboradores precisam

Além de suportar bastante peso, as pontes rolantes podem ser controladas por meio de um controle, permitindo que o funcionário não fique em contato com os materiais, evitando problemas como acidentes de trabalho ou lesões por repetição.

Entretanto, é preciso tomar cuidado com o manuseio, pois os acidentes podem ser de grandes proporções – afinal, estamos falando de um equipamento robusto. Recomendam-se inspeção e manutenção regulares.

Controle de movimento na medida certa

Nas pontes rolantes, a viga é parte principal da estrutura. É sobre a viga que o carro se desloca, realizando o movimento esperado. Ela pode ser dupla ou única, a depender do tipo de operação.

Já o carro (ou trolley) é a parte que se movimenta e dá sustentação à talha, que por sua vez está localizada no carro e permite o deslocamento horizontal ou vertical.

É possível controlar a movimentação com um controle remoto, que funciona via receptor de rádio frequência, possibilitando um posicionamento mais vantajoso e seguro do operador, de forma que visualize bem o cenário.

Outro modelo tradicional e muito visto em galpões é a botoeira pendente, que também se trata de um controle, mas fica obrigatoriamente próxima ao painel de controle, ligada por meio de um cabo, o que limita a movimentação do operador.

Há ainda a cabine, que é considerada uma opção a ser adotada em ambientes com alto risco de acidentes, como portos ou pátios de movimentação de contêineres, que dá mais proteção ao operador.

Adequação ao espaço disponível

Um dos principais diferenciais das pontes rolantes é a possibilidade de serem projetadas de acordo com o espaço que as empresas têm disponível, ocupando pequenos ou grandes vãos, em ambientes espaçosos ou mais restritos.

Projetos de alta complexidade não seriam possíveis sem a utilização de maquinários como esse, que proporcionam eficiência e organização nas linhas de produção.

Alta durabilidade da ponte rolante

Ponte rolante com sistema magnético em galpão industrial.

A vida útil de equipamentos tão essenciais para a logística impacta diretamente nos resultados das empresas, e, apesar de ela geralmente ser longa, pode variar de acordo com a aplicação e a relação entre carga e capacidade da estrutura.

É necessário seguir as recomendações de manutenção do fabricante, investindo em ações preventivas, que são mais controláveis financeiramente. Uma delas, cada vez mais comum nas indústrias, é o uso do graute para aumentar a durabilidade dos trilhos.

Normalmente, a manutenção dos trilhos deve ser realizada uma vez no ano, mas, com o graute, esse reparo passa a ser necessário uma vez a cada cinco anos aproximadamente.

Porém, antes de investir em uma ponte rolante, é necessário realizar um levantamento para planejar a estrutura da melhor forma possível. Reúna informações como o tipo da carga, a finalidade do equipamento e todas as características do ambiente.

Estudando com detalhes as informações necessárias, será possível tomar decisões mais assertivas ao definir se o local está apto a receber uma ponte rolante, os materiais a serem usados ou se serão necessárias uma ou duas vigas.